Flávia Durante: “O Pop Plus foi responsável pelas primeiras vezes de muitas mulheres”

Flávia Durante, 45, natural de Santos (SP), sempre foi de manter múltiplas atividades, alternando entre o trabalho de jornalista, DJ e organizadora de eventos. Foi a primeira mulher brasileira no Twitter e uma das primeiras blogueiras do país, com o C:\Blah Blah Blog. Há 26 anos tem um relacionamento com Hector Lima, roteirista e seu grande companheiro de vida, que sempre a apoia e acompanha nas festas e eventos que produz.

Em meados de 2012 teve a ideia de revender biquínis plus size para ter uma renda extra: foi um sucesso. Em dezembro, junto com meia dúzia de amigas que tinham marcas pequenas, organizaram um bazar no Espaço Zebra (no Bexiga, em São Paulo) para vender peças plus size. “Jamais imaginei que esse seria o embrião do Pop Plus”, conta.

A segunda edição aconteceu logo na sequência, em abril do ano seguinte: “O que me fez continuar organizando foi o feedback positivo que recebi. Fiquei super feliz porque apareceram 120 pessoas e eu pensei que podia ter algo interessante ali”.

“Aprendi a ser empreendedora no susto, errando, tentando, fazendo, recomeçando”, explica Flávia, que acredita que a vantagem de empreender no mercado da moda plus size é poder atender um público que tem muito interesse, mas sempre foi negligenciado.

Para ela, um dos grandes papéis do Pop Plus é educar pessoas para que sejam exigentes e não aceitem qualquer coisa.

Flávia Durante
Flávia Durante, empresária, e seu marido Hector Lima, roteirista

MOMENTOS MARCANTES

Foram muitos os momentos marcantes ao longo desses dez anos de evento: “O Pop Plus foi responsável pelas primeiras vezes de muitas mulheres”.

“Sempre que uma mulher gorda se emociona ao comprar seu primeiro vestido, primeiro jeans, primeira lingerie, eu me emociono junto”.

Uma das memórias marcantes que Durante compartilha é a de uma adolescente que estava às lágrimas pois pela primeira vez tinha tinha encontrado uma saia que cabia nela. A mesma história é contada pelo fotógrafo Robson Leandro, em entrevista ao Pop Plus.

“Todas as vezes que uma mulher se emocionou por encontrar um jeans, uma lingerie, um vestido que servisse nela pela primeira vez foram marcantes pra mim”.

Flávia Durante
Flávia Durante quando o Pop Plus acontecia em uma casa em Pinheiros, por volta de 2013/2014

EMPRESÁRIA

Com a feira realizada em lugares como Espaço Zebra, no Bexiga, em uma casa em Pinheiros, um salão de igreja no Paraíso e um casarão em Perdizes, Flávia Durante conta que se entendeu como empresária quando o evento passou a acontecer no Club Homs, na Avenida Paulista, em junho de 2016: “É a avenida mais importante de São Paulo. Eu sempre fiz eventos em lugares pequenos, alternativos, e quando fui para a Paulista pensei se seria capaz. Se merecia tudo isso. Meus sócios, Wesley Carvalho e Marcio Álvarez, sempre me incentivaram e ajudaram a confiar mais em mim. A partir dali entendi que não era mais uma renda extra, mas minha profissão principal”.

DESAFIOS

Mesmo com o crescimento do evento, que já atingiu um público máximo de 12 mil pessoas em uma edição, manter um negócio sem incentivos financeiros do governo com editais, ou patrocínio de grandes marcas, exige muito desdobramento e jogo de cintura.

“É uma luta a cada edição para colocar o evento de pé. Ele é autossustentável e nunca deu prejuízo, mas gostaria de ter uma folga para fazê-lo crescer ainda mais”, desabafa.

Flávia também explica que a falta de apoio atrasa a expansão do Pop Plus, assim como suas melhorias e desdobramentos.

Para ela, um dos motivos que justificam a falta de patrocínio é a gordofobia do mercado publicitário ao não querer relacionar suas marcas ao público do evento: “Tudo que tem o discurso embalado de uma forma mais amena para o grande mercado é melhor aceito”.

MODA, MÚSICA E DANÇA

Fã de música, Flávia sempre foi de comprar discos e curtir a noite em shows, festas, baladas. De tanto frequentar os bares de São Paulo, foi convidada pelo DJ André Pomba para tocar: “Fui, gostei e comecei a fazer uma festinha na Augusta, em 2001. Nunca mais parei. A música ainda é meu ponto para manter a sanidade. É um amor e uma distração”. Além de ter produzido diversas festas em Santos, ela é a responsável pelo Baile do Bowie e Carnaval Latino, que acontecem em São Paulo.

E por gostar tanto da noite, não sabe separar a música da moda. Flávia conta que começou a ter dificuldade para se vestir depois de ter engordado. Queria usar roupas legais, para sair ou para tocar e simplesmente não encontrava. “As artistas da música sempre me inspiraram a me vestir de uma forma legal. Tenho inspirações desde os anos 80, e em cada década me apaixono por uma artista”.

Tímida, a empresária conta que foram as artistas da música que a inspiraram a tirar de dentro dela a pessoa quem ela é, a entender quem ela pode ser.

“Eu também amo dançar. As pessoas me veem muito roqueira e alternativa, mas eu adoro baile, bolero, flamenco. Todo tipo de dança, orquestra, coisas dramáticas…”, lista. Ela conta que seu sonho é viajar para Cuba para aprender salsa e que quer, um dia, conseguir se apresentar no palco do Pop Plus. 

A dança esteve presente na sua infância, através de seus pais: “Eles sempre foram extrovertidos e eu morria de vergonha. Meu pai era o tipo que roubava atenção, e agora que ele não está aqui, toda vez que eu danço, penso que ele gostaria muito de dançar comigo. O tempo passa, nunca deixem de fazer as coisas que você gosta”, aconselha.

Por conta desses interesses, Flávia traz a arte para dentro do Pop Plus desde o início do evento, valorizando a música e a diversidade através das presenças como a drag queen DJ Gina Yamamoto e a bailarina Júlia del Bianco. Esse movimento faz com que todos os visitantes se sintam acolhidos e representados em um espaço pensado para todos.

Flávia Durante

Flávia Durante

ESTILO

“Eu não tenho um único estilo: tenho fases e personagens”. Por trabalhar e estar sempre na noite, adapta seu estilo ao tipo de festa que frequenta: “Transito muito e não tenho um estilo só; até porque a gente tem vários ao longo da vida”.

No entanto, Flávia explica que o fato da moda excluir pessoas gordas tirou dela a possibilidade de desenvolver esse lado, por não encontrar as roupas que gostava para seu tamanho. “Quando vejo fotos antigas, antes do Pop Plus, eu parecia outra pessoa, usava roupas que não tinham nada a ver comigo. Isso podava minha personalidade. Hoje eu me olho no espelho e sei que consegui montar um look como sempre quis”, completa.

Mesmo com um estilo plural, Durante sabe listar quais são seus itens básicos de moda e beleza: “Uma calça preta, tênis branco ou bota preta, um bom batom vermelho, delineador preto, brincos grandes. Sem eles, parece que eu saí pelada. E uma jaqueta de couro, que fiquei muito feliz quando consegui comprar”.

MULHER DE 40

A autoestima e a representatividade da mulher após os 40 é uma das pautas recorrentes de Flávia, que chama a atenção para o quanto mulheres dessa faixa etária são invisibilizadas. “A gente tem que tomar cuidado para não falar sobre outro padrão irreal, mostrando mulheres milionárias como exemplo. Precisamos respeitar a realidade e o tempo de cada uma”, alerta.

Mesmo assim, para a empreendedora, o importante é que todas possam se lembrar que estar acima dos 40 não faz com que uma mulher tenha “morrido” para o mundo: “Gosto de viajar, de saber o que está rolando. Quero estar por dentro de tudo, e odeio quando usam a frase ‘no meu tempo era melhor’. Não dá pra achar que quem passou dos 40 não pode mais aproveitar a vida”.

FUTURO

Para o futuro do Pop Plus, Flávia Durante quer continuar mantendo e ampliando o escopo do evento, fazendo dele uma plataforma de conteúdo: “Quero trabalhar a questão da economia circular para que possamos valorizar nossa comunidade, a  rede de empreendedoras e clientes. A longo prazo, quero criar uma Casa Pop Plus, com espaço para venda e exposição de pequenas marcas, brechó, produção de conteúdo de empreendedoras, influenciadoras, para produção de fotos e reuniões…”

Por conta dessas metas, Flávia informa que está atrás de parceiros para viabilizar os projetos, buscando marcas que possam colaborar com a construção e crescimento do Pop Plus.

ACEITAÇÃO

Para as mulheres que estão na luta para aceitarem seus corpos, Flávia lembra que nem todo mundo tem o mesmo ritmo, e deseja que cada uma se lembre que seu processo é único e que todo mundo seja tratado com respeito e dignidade.

“Quero que as pessoas se sintam protagonistas desse universo da moda e saibam que ninguém precisa ser uma coisa só o tempo todo”, finaliza.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a idealizadora do Pop Plus? Siga a Flávia no Instagram instagram.com/flaviadurante e venha curtir a 32ª edição do evento!

🔊 Pop Plus # 32 – 10 anos
Quando: 10 e 11 de dezembro, sábado e domingo, das 11h às 20h
Onde: Av. Paulista, 735 (Club Homs – Metrô Brigadeiro – Linha Verde)
Quanto: ENTRADA GRATUITA (sem inscrição, evento de varejo)
Evento: https://bit.ly/popplus32

📲 Site: www.popplus.com.br
Instagram/Twitter/Facebook: @popplusbr
YouTube/Pinterest: /popplus

💡 Idealização e curadoria: @cenapop
Produção: @artshineeventos
Arte: @barneditorial

Guia de Compras- vermelho carmim, a cor do inverno 2024 Raio-X do estilo de Castorine A comédia feminista da Babu Carreira Guia de Compras: Camisa branca de alfaiataria Modelo VITTU fala sobre seu retorno à música LollaBR: veja 13 looks marcantes 15 inspirações de looks plus size para festival Bombou no Pop Plus de outono! Moda íntima e esportiva plus size no Pop Plus Milano Fashion Week apresenta tendências outono/inverno