Diário de Quarentena: Renata Poskus Vaz, criadora do Fashion Weekend Plus Size

Compartilhe:

*por Renata Poskus Vaz

Queria poder chegar aqui e dizer que enfrentei minha quarentena, desde o princípio, maquiada, linda, feliz e de forma positiva. Mas não foi bem assim.

Acreditava que o ano de 2020 seria o ano da renovação, ainda mais por ser espírita e crer na “Data Limite” de Chico Xavier, que profetizou, certa vez, que após Julho de 2019, se não houvesse uma guerra mundial, a Terra passaria por uma era de regeneração e prosperidade.

Mas aí chega o coronavírus, meu pai sem trabalhar, eu sem poder realizar meus eventos, sem poder reinvestir na Maria Abacaxita. O dinheiro logo foi embora. E, o pior, sem poder rever meus irmãos, minha sobrinha e meu cachorro, que está vivendo com eles.

Eu, que tenho uma penca de problemas psicológicos e psiquiátricos, logo pirei. Estava sem medicação, sem dinheiro para ir ao médico, com medo de passar fome e qualquer outro tipo de privação.

As pessoas têm uma visão romanceada sobre influenciadoras. Sou conhecida há mais de 10 anos por meu Blog Mulherão, pelo Fashion Weekend Plus Size que dirijo e, talvez, pensem que eu seja rica. As minhas aparições na TV, as viagens que fiz, tudo, quase sempre, foram convites que reebi. Não fui eu que paguei, tenho que deixar sempre isso claro. É um glamour vazio.

renata poskus e o pai, roberto / pop plus
Renata e o pai, Roberto

Enquanto eu definhava, via minhas amigas blogueiras radiantes com seus stories de looks do dia em plena quarentena e comecei a ficar ainda pior porque me sentia como se só eu fosse a louca pirada da gordosfera. Elas montando 15 looks por semana, mais makes incríveis e eu não conseguia levantar da cama nem para escovar os dentes.

Não tinha mais coragem de falar com meus amigos, porque se dissessem que estavam mal, eu não poderia ajudá-los e me sentiria pior ainda. Fui morrendo por dentro.

Um dia, vi no elevador o anúncio de uma vizinha médica se colocando a disposição dos moradores do meu prédio para tratá-los neste período de Pandemia, gratuitamente, caso tivessem algum problema. Escrevi uma longa carta pedindo ajuda.

Mais do que uma médica, ganhei uma amiga. Alguém para conversar também sobre espiritismo, que eu adoro, e coisas da vida. Tomei uns remedinhos e logo estava melhor. A médica, sabendo da falta de grana em casa, me deu macarrão com bacon e brócolis e uns brownies deliciosos. Sempre pergunta se estou bem, se preciso de comida. Talvez eu precisasse disso, de alguém com quem conversar. Ela sempre me diz: “um dia de cada vez”, e tenho seguido isso.

Fiquei forte, vi que teria com quem contar e que não tem problema pirar de vez em quando ou não fazer 365 coisas como as outras pessoas.

renata poskus / pop plus
Renata Poskus Vaz

A minha visão foi melhorando, fui enxergando boas novas. A primeira mudança que fiz foi apagar todo o planejamento de 2020 que eu tinha em um mural no meu escritório. Olhar os eventos que precisei cancelar, as coleções da Maria Abacaxita que não lancei, me davam muita tristeza. Decidi recomeçar.

Pedi ajuda não só da médica. Fiz um financiamento coletivo no Catarse para confeccionar a nova coleção da Maria Abacaxita e atingi a meta de arrecadação de R$8 mil. Fiquei muito feliz. Quando a gente tá mal, não tem que ter vergonha de pedir socorro.

Agora, voltei a me exercitar na pista de corrida do meu prédio. Está me deixando melhor, mais disposta, mais feliz. Dou valor a cada passo, a cada ventinho no rosto. Uma vez por semana me maquio, faço as unhas, escova no cabelo, depilação, para mim e para mais ninguém. Acho que é assim que sempre deveria ser.

“Estamos nos reinventando, aprendendo a dar valor às pequenas coisas”

Quando dou aquela recaída, meu pai, meu melhor amigo, diz: “graças a Deus estamos vivos!”. E é assim que tento enxergar agora, dando graças por ninguém da minha família ter adoecido ou morrido.

No mais, acho que, no fundo, Chico Xavier tinha mesmo razão. Estamos nos reinventando, aprendendo a dar valor às pequenas coisas, à nossa família, aos amigos, ao arroz e feijão de cada dia e menos valor ao dinheiro e às aparências. Estamos nos transformando. Eu, pelo menos, já sou uma nova mulher. Com certeza!

(*) Renata Poskus é jornalista, blogueira do Mulherão, criadora do Fashion Weekend Plus Size e da marca Maria Abacaxita. Instagram: @renataposkus

 

Veja outros posts da série Diário de Quarentena



Compartilhe: