Allyne Turano / GG.rie / Pop Plus

Diário de Quarentena: Allyne Turano, professora e dona da GG.rie

Compartilhe:

* Allyne Turano

Oie! Eu sou a Allyne Turano, professora e dona da GG.rie 😉

Quando a pandemia começou, eu não tinha noção do tamanho da onda que estava se formando sobre a gente… achei que, sei lá, em 1 mês as coisas fossem voltar ao normal. Não me preparei pro home office, nem fiz grandes modificações para me acomodar em casa, sempre achando que logo poderia sair. Fechei a loja, passei para aulas online e fui vivendo no esquema um-dia-após-o-outro.

O primeiro mês foi ótimo: arrumei a casa, organizei meu armário, botei várias coisas em dia e em ordem, mas uma hora eu já estava organizando meus CDs (eu nem tenho mais CD player!) em ordem alfabética. Aí o segundo mês veio e a quarentena bateu. Perdemos uma cliente da GG.rie pro COVID e, neste momento eu entendi a Cardi B e o “Shit is getting real”.

Depois da onda

Comecei a entender que a onda quebrou bem nas nossas cabeças e eu, literalmente, fiquei sem ar. Foram dias com crise de ansiedade, um sofrimento sem prazo pra acabar. As vendas no site estavam fracas e eu fiquei perdida. Eu entendi que precisava melhorar tanto pessoalmente quanto profissionalmente, e intensifiquei meu tratamento psicológico. Neste momento comecei a fazer uma série de lives no instagram, e isso me ajudou MUITO. Poder falar com as pessoas foi um baita incentivo pra mim.

Allyne bordadeira

Foquei em cuidar da minha cabeça e descobri que sei bordar! Que loucura…. nunca achei que soubesse bordar, mas isso foi uma grata surpresa. Comecei a me exercitar também, o que ajudou a controlar minha ansiedade. Foi um desafio equilibrar loja, aulas e atividades extras, mas agora já virou rotina. Foram dias pesados, mas estão melhorando.

 

Operação de sobrevivência

Sobre a loja, acho que foi o meu maior desafio. A loja online sempre funcionou bem, mas agora teria que estar perfeita. Eu até hoje não fiz ensaio das novas peças pois não quero aglomerar a equipe. Sobre os envios, vamos 1 ou 2 vezes por semana à loja e despachamos tudo junto. Como a produção se reduziu a 30%, também não tive como fazer muitos lançamentos, mas consegui me virar com as limitações.

GG.rie e sua loja no Centro do Rio

Agora o novo desafio é o “novo normal”. As aulas continuam online e eu não pretendo me expor a uma sala de aula enquanto não houver vacina. Eu não pretendia abrir a loja, mas vou atender aos pedidos das clientes dentro da minha limitação e respeitando as normas de segurança (hora marcada, 1 cliente por vez, máscara, álcool em gel).

Daqui em diante

Estou otimista com a possibilidade de termos uma vacina em breve, mas enquanto isso não acontece vou bordando minha ansiedade e me mantendo em casa. Se puder, fique em casa também.

Pra terminar: saiba que é normal não estar bem, mas procure ajuda se não estiver. São momentos difíceis e desconhecidos e você não precisa passar por isso sozinha.

* Allyne Turano é professora e proprietária da grife de lingerie GG.rie. Instagram: @gg.rie.

Leia mais posts da série Diário de Quarentena



Compartilhe: